<claramenteasperger.blogs.sapo.pt/ rel="icon" href="upimagens.com/di/G7ET/favicon-16.png">" type="image/x-icon" />

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Claramente ASPERGER!

SALTO DE FÉ

2016 foi o ano em que dei o meu primeiro SALTO DE FÉ!
 
Não me atirei como quem se atira de um avião para momentos de loucura ou prazer numa queda livre até o paraquedas se abrir.
Não!
Atirei-me para o desconhecido com medo e pouca confiança.
Atirei-me com fé. Não em mim, mas em quem me tinha feito ver que era o momento de avançar. 
 
Nunca tinha ouvido falar em... Salto de Fé!
 
Como sou um pouco literal e com pensamento completamente visual, vi:
 
Um precipício. Nuvens que não deixavam ver o chão. Eu. 
Só eu. 
Sem proteções. Sem paraquedas... Eu!
 
 
 
A luz e a energia que estou a sentir é tão forte, tão positiva, tão cheia de amor, que me faz acreditar que o caminho é este.
 

 
Este Salto de Fé foi dado com um objetivo. Já recebi muito mais!
O coração está, praticamente, aberto e tenho uma certeza:
Não vou precisar de colchão!
 
Vou chegar ao chão, porque é assim que acaba o meu Salto. No chão!
A luz, a energia que me envolve neste momento, fruto do imenso amor que aprendi a receber, está a amparar a queda!   
 
É muito bom ser gostada... ser amada... que digam bem de nós!
É muito gostar... amar... e saber dizer bem dos outros!
 
Estou a aprender a viver sem medo de sofrer. Sem mágoas. 
Estou a aprender a viver em verdade em relação a mim própria. Sem máscaras!
 
"Eu estarei lá!"
Tu não sei... Eu estarei de certeza!
 

TRAÇOS DE ESPERANÇA

Nunca foi um objetivo meu ir para a universidade, aliás, repudiava-me mesmo essa ideia.

Quando cheguei ao 10º ano segui a área B, engenharia, era a área óbvia a seguir.

Sempre gostei de matemática e física. Depois adorava o quebra-cabeças de tentar arranjar qualquer coisa que se tivesse estragado ou avariado. Era capaz de perder horas nisso.

Engenharia era a minha cara. E fiz testes psicotécnicos que o confirmaram.

Deus me livre... pensava eu!

Nunca iria para a universidade estudar engenharia. Não sei porquê, mas sentia um aperto no peito só de pensar nisso.

O que eu queria era ir para a televisão.

Desde pequena que tinha esse sonho... O sonho de trabalhar em televisão.

O problema é que não sabia a fazer o quê.

 

Não fui para a universidade. Não havia hipótese. Poderia não saber o que queria, mas sabia bem o que não queria.

Acabei por tirar um curso de vídeo.

Nesta decisão foi crucial o apoio do pai e da mãe.

Porque estou a contar este momento da minha adolescência?

 

 

Rita Rocha, professora de filosofia com mestrado em educação especial, lançou agora um livro baseado na sua tese, TRAÇOS DE ESPERANÇA.

 

Claramente ASPERGER! Desabafos

 

VEJA OUTROS POSTS

 

CLARAMENTE... NÃO DÁ MAIS! #4

CLARAMENTE... PRECISO DE RESPOSTAS! #5

O RISCO (INSUPORTAVELMENTE) INVISÍVEL

SERÁ O MEU MUNDO QUADRADO?

NÃO ESTÁ A SER EM VÃO!

NÃO ESTÁ A SER EM VÃO!

LINDO!... LINDO!

 

Estou tão feliz!!!

O esforço, a entrega, o tempo que dedico a este projeto não está a ser em vão!


Tinha e tenho um primeiro objetivo com tudo o que estou a fazer à volta do Autismo...

 

Ser uma presença para quem não sabe mais o que fazer. Para quem se sente sozinho/a ou abandonado/a. Para quem precisa de desabafar.
Quero dar aquilo que não tive, que não encontrei mas que precisei desesperadamente.

 

No outro dia recebi uma mensagem da Mónica Leite.

Não a conhecia... Nunca falámos.


Depois de ler a mensagem, tive de a voltar a ler.

 

 

 

Claramente ASPERGER! Pessoalíssimo

 

VEJA OUTROS POSTS

 

CLARAMENTE... NÃO DÁ MAIS! #4

SERÁ O MEU MUNDO QUADRADO?

CLARAMENTE... PRECISO DE RESPOSTAS! #5

OBRIGADA POR FAZEREM PARTE!

OBRIGADA POR FAZEREM PARTE!

Nunca pensei o alcance que poderia ter...
Muito obrigada!

Comecei a página Aspie PT Woman, no Facebook, dia 1 de maio deste ano sem qualquer tipo de estratégia.

 

Eu, Rita Nolasco, não sou terapeuta, nem psicóloga, nem psiquiatra, nem uma cara conhecida.

Eu, Rita Nolasco, decidi fazer uma página sobre o tema: Síndrome de Asperger (SA), Perturbação do Espetro do Autismo (PEA).

 

 

Queria passar a palavra. Queria partilhar experiências e conhecimento que adquiri ao longo de um intenso ano. 

 

Não tinha estratégia, mas tinha um objetivo e entreguei-me de corpo, alma e coração para o alcançar.

22 de fevereiro de 2016

Este dia foi a razão de ser da página.

Se este dia não tivesse sido o que foi, não sei dizer se alguma vez teria tido a coragem de enveredar por este caminho.

 

 

 

Claramente ASPERGER! Pessoalíssimo

 

VEJA OUTROS POSTS

 

CLARAMENTE... NÃO DÁ MAIS! #4

SERÁ O MEU MUNDO QUADRADO?

CLARAMENTE... PRECISO DE RESPOSTAS! #5

DESCUBRA AS DIFERENÇAS

 

EU NO CONGRESSO DO CADIN

Dois dia no congresso do CADIN... Adorei!

Adorei as conferências. Os oradores eram fantásticos. Adorei a entrega e a simpatia de todos aqueles que organizaram e colaboraram neste congresso.

Tenho que agradecer ao CADIN, mais propriamente à Andreia Craveiro, a disponibilidade que teve em me ajudar em tudo o que lhe fui pedindo. Tive abertura total para gravar entrevistas com especialistas que falaram sobre Autismo e a Andreia foi incansável a proporcionar essas entrevistas.
Quero agradecer também ao Dr. Pedro Cabral, diretor clínico do CADIN e ao Dr. Bernardo Baraona Corrêa, diretor científico do CADIN, a amabilidade e as excelentes entrevistas que me deram.

 

 

Como me disse o Dr. Pedro Cabral, - este tipo de iniciativas são muito complicadas e arriscadas de organizar. São muito caras e não há certeza de que as receitas cubram os gastos.- daí não haver tantas como o desejado.

No entanto são iniciativas importantíssimas!

 

 

Claramente ASPERGER! Desabafos

 

 

VEJA OUTROS POSTS

CLARAMENTE... PRECISO DE RESPOSTAS! #5

CLARAMENTE... NÃO DÁ MAIS! #4

O RISCO (INSUPORTAVELMENTE) INVISÍVEL

 

CLARAMENTE... PRECISO DE RESPOSTAS! #5

Foram tempos duríssimos!
Dias de martírio! Dias de desespero... Loucura.
Dias que pareciam não ter fim e que me consumiam.

Bati de frente! Um choque frontal do qual não tive hipótese de me desviar.

Fui confrontada com um claro diagnóstico.

Um diagnóstico a cru. Um diagnóstico que já estava à espera de receber, mas que, para o qual, não estava verdadeiramente preparada. Pelo menos da maneira como foi dado.

 

 
8h55
Estou perdida. Já sabia lidar comigo, mas agora não sei nada. Parece que vou ter de começar tudo de novo. - Olá tudo bem? Sou a Rita e sou Asperger! - O problema é que nem sei o que lhe diga ou o que me diga! Parece que sou uma estranha para mim própria e não tenho assunto!
Será que estou a ficar maluca?

 

BATI... BATI... BATI COM A CABEÇA!

Bati com a cabeça. Bati! Bati! Bati!

Não tenho orgulho nem deixo de ter no que fiz.
Não me vou justificar, não me vou martirizar, mas também não me vou culpar por tê-lo feito.

 

 

Não bati com a cabeça por ter descoberto ser Asperger...
Mas talvez tenha batido com a cabeça por ter descoberto que sou Asperger.

Tudo se interliga. Tudo pertence à mesma teia de emoções.

Sempre soube que era um pouco obsessiva e ansiosa. Condições que cresceram comigo e com os quais aprendi a lidar.

Quando descobri ser Autista estas perturbações ganharam proporções tremendas.
A obsessão tornou-se uma constante e juntamente com a ansiedade fizeram-me atingir picos de um sofrimento atroz.

 

CLARAMENTE... NÃO DÁ MAIS! #4

SOZINHA... Só quero estar SOZINHA!
Não tenho paciência para nada nem para ninguém.

 

 

Estás assim, só porque alguém te disse que és Asperger?
Será que és mesmo?
O que quer dizer ser Asperger?
Que disparate... ASPERGER? Tu? Qual é a ideia?

CLARAMENTE... TIVE QUE ESCREVER! #3

ESTOU UMA BOMBA RELÓGIO DE EMOÇÕES.

 

A cabeça não pára! Preciso de estar sozinha!


A única coisa que acalma os meus pensamentos é andar de carro sem rumo com a música aos altos berros.

Tenho de calar a criatura que não se cala nunca e que se apoderou de mim por completo.


Não consigo trabalhar, não me apetece estar com ninguém, não quero falar nem pensar sobre nada que não seja EU!

Foram tantos anos a ignorar-me.

 

EU não valia a pena!

 

 

 

CATIVAR

Num destes dias, numa das imensas mensagens que envio por dia para que o máximo de pessoas conheça a página Aspie PT Woman no FB, o João, uma dessas muitas pessoas a quem enviei a mensagem, respondeu:
 
- Já sigo a página à algum tempo. Tens algum caso de Autismo na família? 
 
- Segues a página mas não lês os posts? - Respondi
 
- Hoje em dia todos nós temos excesso de informação, vivemos super estimulados - diz.- É impossível ler tudo, seguir tudo o que nos propõem...  É nestes contactos mais personalizados que se dá a ignição do interesse em perceber mais.
 
- Lê pelo menos um post e depois diz-me alguma coisa - respondo.- Ficava muito feliz que o fizesses!
 
- Não te estava a pedir para contares tudo - continuou o João - mas para partilhar alguma info que me despertaria naturalmente o interesse para depois ir procurar o contexto. 
Como o Principezinho...  Se me cativares tornas-te responsável por mim...
 
Continuei a insistir
 
- Ponho tudo de mim naqueles posts e depois deixo de ter força para escrever mais sobre o assunto, daí estar a pedir-te para ires ler. 
 
Alguns minutos depois recebo mais uma mensagem...
 
- São muito intensos e muito autênticos. Tornaste-te responsável por mim. 
Cativaste-me menina... ! Estou feliz. 
 
Fiquei de lágrimas nos olhos... Soube-me tão bem esta conversa. Preencheu-me!
Depois senti o peso da responsabilidade. 
CATIVASTE-ME!! 
 
Faz como o Principezinho. Se me cativares tornas-te responsável por mim...
 

 

 

CLARAMENTE... O CHOQUE! #2

Ao fim de tantos anos a criticar-me e a ter vergonha de mim... Sou Asperger!
Que confusão interior tão grande! Que dor tão, mas tão, mas tão profunda!

O início da adolescência foi o início também da minha auto censura!
Comecei a aperceber-me das minhas dificuldades e não as aceitei!
Não aceitei os meus nãos... Não compreender as conversas, não ter assunto, não conseguir estudar sozinha, não... não... não...
Juntando aos nãos uma vergonha imensa, uma insegurança que foi crescendo com a idade, o medo que percebessem como eu era... que deixei de querer existir como um todo!
Estava cansada de ser eu com tantas limitações. Eram julgamentos, raivas, lutas constantes com o meu eu que não foi difícil fechar-me para mim e focar-me naqueles que valiam a pena e me faziam feliz!

 

Descobri que sou ASPERGER... Gostei!

Ser CLARAMENTE ASPERGER... Foi o choque!

 

 

Foi o gatilho para a ansiedade disparar e eu cair num poço que parecia não ter fundo.

 

CARTA ABERTA A UMA AMIGA

 

Já passaram sete meses!


Hoje vi-te. O nosso olhar cruzou-se num milésimo de segundo e continuámos como se nada fosse!
Como se nada fosse... Impossível!
Quando te vi o meu coração parou! Tenho tanta dificuldade em fingir. Fingir indiferença, fingir não querer saber.

 

 

A RITA É CLARAMENTE ASPERGER! #1

 

"... a Rita é claramente ASPERGER!"

 

O meu mundo, a minha vida, a minha realidade deixou de existir naquele momento e caí no abismo!

 

O livro "Asperger no Feminino" apesar de não ser recente e nalguns conceitos, a meu ver, já estar um pouco desatualizado, fez-me conhecer e perceber o que é ser Autista.

 

Quando cheguei ao fim do livro, fiquei com uma quase certeza... SOU ASPERGER!
 
A ansiedade e a obsessão sobre o tema fizeram-me pesquisar e ler tudo o que havia na net sobre o assunto. Li vários blogs, vi imensos vídeos no YouTube... Queria ouvir histórias na primeira pessoa, precisava de saber o que sentiam antes do diagnóstico, como descobriram, como viveram a experiência da descoberta.
 
Nunca me tinha passado pela cabeça poder ter qualquer tipo de diferença neurológica da maioria. Sempre me vi como alguém com poucas capacidades. Sempre me vi burra... pouco inteligente.

RAIN MAN

Para mim ser AUTISTA era ser como o "Rain Man"!

 

Tinha 13 anos quando o Dustin Hoffman ganhou o Oscar de melhor ator a interpretar o papel de um Autista... Início da minha adolescência e um filme do Tom Cruise, obviamente não resistí !)

Esse filme passou a ser a minha referência para Autismo, a minha e acredito que de muitas outras pessoas!

 

A Síndrome de Asperger surge alguns anos depois e a ideia com que fiquei da SA é que seriam crianças, na sua maioria rapazes, um pouco desligadas do mundo que as rodeia e muito focadas em determinados assuntos.

 

 

 

 

Claramente ASPERGER! Desabafos

 

VEJA OUTROS POSTS

PORQUÊ UM BLOG!

DESCUBRA AS DIFERENÇAS

 

 

DESCUBRA AS DIFERENÇAS

Desde o momento que comecei a falar com os meus amigos e conhecidos sobre ser Asperger, sinto que sou um Jogo das Diferenças!

 

DESCUBRA AS DIFERENÇAS

Continuo aparentemente a mesma, as diferenças não são visíveis (acho eu!)

 

Já fui confrontada com...

"Não pareces nada Asperger!"; "E agora?"; "Olhando para si nunca diria"; "A sério!" Ao mesmo tempo que me olham de cima abaixo; "Oh, não és nada... eu conheço um caso e não é nada parecido contigo!".

 

 

 

 

Claramente ASPERGER! Desabafos

 

 

PORQUÊ UM BLOG!

NUNCA gostei de me expor...

NUNCA gostei de ser o centro das atenções...

NUNCA gostei que falassem de mim... Como é possível estar a escrever um BLOG PESSOAL?

 

 

Tinha imensa vergonha de tudo e uma insegurança enorme, tinha também um medo medonho de errar. Tinha e ainda tenho!

Talvez essa sensação já não seja tão intensa e paralizante, mas continuo a ser assim.
 
Por essa razão a minha cabeça não para. Pergunto-me... pergunto-me... pergunto-me se será este um caminho para o qual estarei preparada?
 
Nesta página vou me expor, vou ser o centro das atenções e por causa da página vão falar sobre mim... Tudo coisas que sempre evitei!!
 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

FACEBOOK DO BLOG

UM POUCO SOBRE MIM

Posts destacados

O MEU MAIL

ritaspcnolasco@gmail.com

ENDEREÇO DE E-MAIL

DEIXAR CONTACTO

Não esquecer de deixar o seu contacto ao enviar uma mensagem. Obrigada!

Mensagens

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D